Maternidade Bairro Novo é referência no parto humanizado

Postado em Assessoria de Imprensa

Referência no parto humanizado em Curitiba, a Maternidade Bairro Novo completou, em julho, 20 anos de inauguração. Abriu as portas em 6 de julho de 1997, na primeira gestão de Rafael Greca como prefeito. Era o Centro Médico Comunitário Bairro Novo, nome que ainda exibe na entrada, mas com a excelência na execução de procedimentos de ponta para tornar os nascimentos mais naturais e tranquilos para as famílias.
 
Administrada pela Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (Feaes), a maternidade tem, desde 1998, o título de Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC). Faz, em média, 200 partos e 1,4 mil consultas por mês. Destaca-se, ainda, pela baixa taxa de cesáreas, dentro do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No Bairro Novo, 75% dos nascimentos são por parto natural e com práticas de assistência humanizada (em que se busca devolver à mulher o protagonismo no parto).
 
Mais que a eficiência dos métodos e a capacitação técnica dos 200 profissionais, o que mantém a maternidade como referência é a dedicação da equipe, destaca a diretora da maternidade, Edinalva Ferreira de Carvalho. “Temos uma equipe que gosta do que faz, interessada em fazer sempre algo a mais. Pensamos em cada detalhe, como o teste do pezinho, que hoje é feito no momento da amamentação, comprovadamente mais confortável para a criança”, diz.
 
Para cada curitibano que nasce na Maternidade Bairro Novo, vários profissionais são recrutados: pediatras, médicos ginecologistas e obstetras, técnicos de enfermagem, enfermeiras, fonoaudiólogos. A instituição conta ainda com enfermeiras obstetras e é a única maternidade pública da cidade com esse tipo de profissional, que permite o parto verticalizado, em que a mãe pode escolher a posição mais confortável para receber o filho.
 
Após o nascimento, o bebê fica constantemente com a mãe, no leito compartilhado, e todos os funcionários da maternidade recebem treinamentos direcionados para orientar sobre o aleitamento materno. “Fazemos o incentivo à amamentação em livre demanda e a mãe aprende a como lidar com o bebe antes de deixar a maternidade”, diz a gerente assistencial, Letícia Siniski de Lima. Os funcionários da área clínica fazem rodas de conversa em que tiram dúvidas sobre o aleitamento. Nos alojamentos, orientam sobre a posição correta de segurar a criança para ela mamar com mais facilidade. “E temos fonoaudiólogas que também auxiliam quando os bebês apresentam alguma dificuldade de sucção.”
 
Histórico
 
Inaugurado em 1996 como Centro Comunitário Bairro Novo, o local que hoje abriga a Maternidade Bairro Novo foi considerado o primeiro hospital próprio do município e concebido para atender pacientes em cirurgias eletivas de baixa complexidade.
 
Foi administrado pelo Hospital Universitário Evangélico até fevereiro de 2013, e, em março daquele ano, passou a atender exclusivamente como maternidade e ser administrado pela Feaes. Os métodos humanizados começaram a ser implantados em 2014.