Error: Only up to 6 modules are supported in this layout. If you need more add your own layout.

Pacientes de Rondônia com covid-19 chegam para tratamento em Curitiba

Postado em Assessoria de Imprensa

Um grupo de 13 pacientes com covid-19 chegou de Rondônia na madrugada desta terça-feira (26/1) ao Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais. A transferência é resultado da ajuda humanitária oferecida pelo município de Curitiba ao estado da região Norte, onde o sistema de saúde entrou em colapso.
 
“A exemplo do bom samaritano, acolhemos os que vieram de longe em solidariedade ao povo paranaense que construiu Rondônia e porque o SUS é modelo único de saúde pública para todo o Brasil”, disse o prefeito Rafael Greca.
 
Depois de transportado em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), o grupo foi recebido por uma equipe da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Divididos em tendas montadas na pista, os pacientes passaram pelas etapas de acolhimento, triagem e classificação.
 
O enfermeiro de bordo Sérgio Pereira, da Secretaria de Saúde de Rondônia, ficou impressionado com a recepção preparada pela SMS. Segundo ele, a logística foi perfeita, desde o pouso, à 1h30, ao final da operação, às 2h30, com muita sintonia entre os profissionais de Curitiba.
 
“Já viajei o Brasil inteiro e nunca vi uma acolhida como a que os pacientes receberam aqui em Curitiba”, comentou o enfermeiro de Rondônia.
 
Os pacientes foram acolhidos em dois hospitais: 10 (cinco homens e cinco mulheres) no Vitória, reaberto em junho de 2020, gerenciado pela Fundação Estatal de Atenção à Saúde (Feas), órgão da administração indireta da Prefeitura de Curitiba; e três, todas mulheres, no Instituto de Medicina do Paraná, da Santa Casa.
 
O paciente mais jovem tem 21 anos. O mais velho, 79. Dos 13 internados, nove têm menos de 60 anos.
 
 
Disponibilidade
 
Curitiba disponibilizou um total de 30 leitos para a ajuda humanitária e aguarda a confirmação da chegada de um novo grupo de pacientes. O Departamento de Urgência e Emergência (DUE) da SMS e equipes dos hospitais seguem mobilizados para o acolhimento.