Share |

Feas contrata 47 médicos e convoca mais 41 para a Saúde de Curitiba

Escrito por Fernanda Luvizotto. Postado em Assessoria de Imprensa

A Fundação Estatal de Atenção à Saúde (Feas) contratou 47 médicos e convocou outros 41, que devem se apresentar até esta quinta-feira (16/1). Eles vão trabalhar na Maternidade Bairro Novo, Centros de Atenção Psicossocial (Caps), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Unidades Básicas de Saúde.
 
Os médicos foram aprovados por Processo Seletivo Público (PSP) realizado em 2019. Do total de profissionais convocados desde 26 de dezembro, 43 são médicos generalistas (quatro foram para unidades de saúde); um é pediatra; dois são anestesiologistas; e um é pneumologista.
 
“A Feas tem um papel importante no sistema de saúde em Curitiba no gerenciamento de serviços de saúde e desde maio de 2019 passou a atuar na atenção primária. Essa ampliação do escopo da Feas traz a agilidade de que a saúde precisa para dar respostas adequadas às necessidades da população”, disse a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.
 
Segundo o diretor geral da fundação, Sezifredo Paz, a maioria das contratações é para a recomposição dos quadros da rede municipal da saúde. “Os profissionais contratados pela Feas irão dar apoio às ações de saúde de Curitiba”, reforçou.
 
 
Impacto
 
A notícia foi bem recebida pelos usuários. O conselheiro municipal de saúde Luiz Carlos Pinheiro acompanhou o processo de contratação dos médicos. “Essa recomposição [dos profissionais] é muito positiva”, afirmou.
 
Pinheiro conheceu a médica Bárbara Moreira Storck, especialista em Medicina da Família e Comunidade, que irá trabalhar na Unidade de Saúde São Paulo, no Uberaba.
 
“A gente, que faz Medicina da Família, quer trabalhar no SUS e minha expectativa é realizar esse sonho, devolvendo para a comunidade aquilo que ela me proporcionou, já que me formei com recursos públicos”, contou Bárbara, que se graduou na Universidade Federal do Paraná (UFPR).
 
 
Balanço
 
Em 2019, a Feas contribuiu com 639 médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para as UPAs, Complexo Regulador e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Além disso, 42 médicos da fundação atuaram nas Unidades de Saúde, realizando mais de 85 mil atendimentos entre os meses de maio e novembro.