Share |

Feaes lança Programa de Desenvolvimento Gerencial

Postado em Assessoria de Imprensa

A Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (Feaes) lançou, nesta quinta-feira (10/5) o Programa de Desenvolvimento Gerencial (PDG) MelhorAR – Tornar-se Melhor com Atitudes Responsivas.

Voltado inicialmente para 149 funcionários da fundação - entre gestores e colaboradores, o MelhorAR se propõe a qualificar lideranças a partir de temas  de abordagem operacional, estratégica e de visão de negócios.
O foco é autodesenvolvimento pessoal, mas com o compromisso de conectar as pessoas, ideias, projetos e os objetivos organizacionais.
“Gerenciar uma instituição como a Feaes é uma responsabilidade muito grande e, por isso, os anseios, os receios precisam ser compartilhados. Por isso, estamos oferecendo essa oportunidade de crescermos juntos”, destacou a diretora geral da Feaes, Adriana Moreira Kraft.
O programa foi desenvolvido pela Fundação e será conduzido pela Aprendere, do professor e consultor Marciano Cunha. “Estamos construindo esse programa para nossos funcionários há três anos. Lançá-lo é uma grande satisfação”, disse a diretora administrativo-financeiro da Feaes, Leila Cristina Duflot.
A assistente administrativo da Maternidade Bairro Novo Juliana Fronza acompanhou o lançamento do PDG e ficou entusiasmada para participar das próximas etapas. “Essa oportunidade de nos capacitarmos é, inclusive, reconhecimento ao nosso trabalho. Esse primeiro momento foi maravilhoso e gerou uma expectativa muito positiva para o que vamos, juntos, desenvolver”, falou.

O programa – O MelhorAR é um programa de desenvolvimento gerencial voltado às experiências interconectadas de seus participantes. A escolha do nome (uma junção das palavras “melhor” + “ar”) aponta para a analogia da busca de um ambiente mais oxigenado.
Ao mesmo tempo, “AR” forma uma sigla para “Atitude Responsiva”, em que “atitude” significa “querer” e “responsividade”, na Psicologia, aponta para o acolhimento com atitudes compreensivas e diálogo efetivo para o desenvolvimento da autonomia. Ou seja, “MelhorAR” também aponta para a vontade mútua de atuar compreensivamente para a evolução autônoma.
A metodologia utilizada nos encontros, destacou Cunha, será a Educação Executiva Experiencial. “Nela, levamos em conta as experiências pessoais e profissionais dos participantes na construção dos conhecimentos”, explicou.
Entre as atividades, os participantes vão receber um fichário para registrar seus “diários de melhoria”, em que o objetivo será articular três perspectivas de suas experiências: o pensar, o sentir e o agir.
As reuniões do programa serão realizadas em três turmas, em encontros que se estenderão até agosto deste ano.