Share |

Inscrições para seminário sobre inovação e vivência em saúde vão até sexta

Postado em Assessoria de Imprensa

Termina amanhã as inscrições para a terceira edição do Simpósio de Fisioterapia da Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (Feaes), que neste ano abordará o uso da tecnologia na recuperação do paciente, com foco na ampliação da autonomia do doente e do seu bem estar.

O evento será realizado no sábado (20/10), no auditório do Hospital do Idoso Zilda Arns (no Pinheirinho), e é voltado a profissionais e estudantes de fisioterapia, terapia ocupacional e demais áreas da saúde. As inscrições podem ser feitas no site da Feaes, pelo link http://www.feaes.curitiba.pr.gov.br/agenda-de-eventos-e-cursos.html. 

Serão realizadas palestras e oficinas sobre inovação, como a utilização de jogos adaptados e de realidade virtual. “O foco do evento é o idoso, mas neste ano abrimos o leque para o estudo dos demais perfis de paciente”, relata Sandra Mari Pistore Fiori, presidente da comissão organizadora. “O uso da tecnologia pode ser um grande aliado da ampliação da funcionalidade do paciente”, analisa.

O evento é um importante momento para troca de experiências. Para Keity Daniela Oliveira Arias, diretora técnica do Hospital do Idoso, o fomento de estudos faz parte da visão da instituição. “Vamos mostrar o trabalho que já temos desenvolvido no Hospital do Idoso Zilda Arns, dividir conhecimento e ampliar as discussões”, destaca.

Funcionários e residentes da Feaes pagam valores promocionais de R$ 25. A inscrição de estudantes é de R$ 50 e profissionais de outras instituições pagam R$ 75. Grupos com 10 participantes recebem descontos (R$ 400 para estudantes e R$ 600 para profissionais externos).

 

Termina domingo prazo para se inscrever no SUStentabilidade Consciente

Postado em Assessoria de Imprensa

Arte: Anya Colman

Os interessados em participar do programa de boas práticas SUStentabilidade Solidária da Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba tem até domingo (14/10) para inscrever seu projeto pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

O concurso premiará o funcionário que enviar a melhor ideia com um prêmio de R$ 1 mil. Podem participar colaboradores de todas as unidades da Feaes, contratados pelo regime de Processo Seletivo Público e que não exerçam cargo de chefia.

Serão aceitas propostas que promovam e estimulem o uso racional e a otimização de recursos públicos dentro da Feaes, o desenvolvimento sustentável, o aprimoramento das atividades operacionais e de gestão e a melhoria na prestação de serviços públicos. 

“São os nossos colaboradores quem melhor conhecem suas áreas de atuação e os melhores observadores dos gargalos que podem ter melhorias. O concurso quer incentivar ideias resolutivas”, destacou a diretora da Feaes, Adriana Moreira Kraft. A ficha de inscrição está disponível neste link (consultar anexos). 

 

Profissionais discutem os Cuidados Paliativos no Hospital do Idoso

Postado em Assessoria de Imprensa

Em celebração ao Dia Mundial dos Cuidados Paliativos, que acontece no segundo sábado de outubro, a Comissão de Cuidados Paliativos do Hospital do Idoso Zilda Arns (Hiza) promove, nesta segunda-feira (15/10), uma palestra para os profissionais da Saúde com o tema “Cuidados em Fim de Vida”.

Os cuidados paliativos visam aliviar o sofrimento e proporcionar maior qualidade de vida aos pacientes e familiares nos casos de doenças crônicas. E, nos casos em que as equipes multidisciplinares constatam que a doença leva o paciente a um estado terminal, o objetivo é encarar a morte como um processo.

A palestra será realizada a partir das 13h30, no auditório do Hiza, pela médica geriatra Gisele dos Santos, presidente da Regional Sul de Cuidados Paliativos e membro da Comissão Permanente em Cuidados Paliativos da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

Desde janeiro deste ano, o Hospital do Idoso Zilda Arns conta com a Comissão de Permanente de Cuidados Paliativos, que oferece aos pacientes crônicos – em que não há mais a possibilidade de cura – os serviços de apoio de equipes multidisciplinares, com psicologia, assistente social, fisioterapia e terapia ocupacional. Em nove meses, 106 pacientes foram atendidos pela Comissão do Hospital.

A coordenadora da Comissão, Elisangela Bruske Cordeiro Shiroma, explica que o foco é ofertar um tratamento menos agressivo, priorizando o conforto do paciente e o controle dos sintomas. “Além disso, isso permite maior tempo com os familiares, incentiva a resolução de questões pessoais. Um dos princípio dos Cuidados Paliativos é valorizar e aceitar as prioridades do paciente e de sua família nesse processo”, fala.

 

Evento do Caps promove reinserção social no Dia Mundial da Saúde Mental

Postado em Assessoria de Imprensa

Fotos: divulgação

Claudinei Roberto de Brito tem 44 anos e faz tratamento no Centro de Atenção Psicossocial (Caps), no bairro Portão, há três semanas. Ele participou do evento em comemoração ao Dia Mundial da Saúde Mental, realizado na Rua da Cidadania do Carmo, que contou com atividades de promoção de bem-estar mental dos usuários.  Ele jogou futebol de salão e damas, mas o que mais gostou foi da recepção da comunidade. “Foi importante para a sociedade nos olhar de outra forma, há muito preconceito ainda”, relatou.

O evento contou com a participação dos 12 Caps de Curitiba e envolveu cerca de 200 participantes em atividades esportivas e práticas integrativas, como reiki, automassagem, aula de zumba, jogos e exposição de artesanatos.

“A importância é de ampliar as atividades externas ao serviço Caps, passando da teoria à prática, pois utilizamos o território como real recurso de intervenção, propiciando o protagonismo de cada usuário presente em contato com a comunidade em um local de espaço comum”, destaca Karin Cristine Gabardo, coordenadora do Caps 3 Boqueirão, que trata usuários de transtornos mentais.

A interação com as pessoas “promove satisfação e reaproxima o paciente da sociedade”, conta a coordenadora Jaqueline Calixto Magingo, do Caps 2 Portão, voltado aos usuários com transtornos mentais. “Essa é a essência do trabalho, tornar qualquer ambiente terapêutico”, observa.

As atividades externas são fundamentais para romper essa barreira social e desmistificar os problemas mentais. Para o psicólogo Claudio Amaro Cassal, “nestas situações o usuário tem a liberdade de ir e vir, ao mesmo tempo em que conta com acompanhamento profissional”.

Martinha de Lara Monteiro, 50 anos, faz acompanhamento no Caps há menos de uma semana. Ela aproveitou a proximidade com a igreja para visita-la. “No início do evento até me senti um pouco perdida, mas as atividades me integraram, e até me senti motivada para ir à igreja do Carmo pedir proteção, algo que há algum tempo não fazia”, descreveu.

A apresentação do evento foi realizada pelo projeto Rádio Sangue Bom, do Caps 2 Bairro Novo. Dois locutores e dois auxiliares fizeram toda a divulgação do evento no local, programaram músicas e apresentaram as atividades. “Oficinas como a de rádio são importantes para dar visibilidade e voz a esses usuários, além de desenvolver a comunicação e o conhecimento técnico”, disse a psicóloga Bianca Oliveira Garcia Silva, que coordena o projeto.