Imprimir

Congresso de atenção domiciliar é bem avaliado pelo público

Postado em Assessoria de Imprensa

 

Congressista Mariana Borges-ae7299240e
Mariana Borges Dias, coordenadora da Assistência Domiciliar do Ministério da Saúde

Terminou no último sábado o II Congresso Sul Brasileiro de Atenção Domiciliar, que foi realizado entre 18 e 20 de setembro pela Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (Feaes) e discutiu a integralidade do cuidado na atenção domiciliar. A iniciativa contou com representantes do Maranhão, Bahia, Minas Gerais, Alagoas, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, totalizando 400 congressistas.

Para a coordenadora geral da Assistência Domiciliar do Ministério da Saúde, Mariana Borges Dias, o evento superou as expectativas. “E contribuirá muito com a integração dos serviços de Curitiba e também de outros estados”.

Em Curitiba, a atenção domiciliar é realizada por meio do programa Melhor em Casa. Trata-se de uma estratégia nacional que atende pessoas com necessidade de reabilitação, dificuldade ou impossibilidade física de locomoção até uma Unidade de Saúde e que necessitem de maior frequência de cuidado, recursos de saúde e acompanhamento contínuo, além de pacientes crônicos sem agravamento ou em pós-cirurgia, com garantia de continuidade de cuidados e de forma integrada aos serviços de saúde.

A partir de palestras, oficinas, mesas redondas e rodas de conversa, o congresso foi uma oportunidade para troca de experiências e conhecimentos. “O sul é muito diferente da nossa realidade. Aqui está mais avançado o programa”, afirmou a enfermeira Ariany Guerrieri, que atua em Eunápolis, a 60 km de Porto Seguro (BA).

A fisioterapeuta Marina Siviero Farias implantou o programa em Eunápolis e hoje o coordena em Porto Seguro. “Alguns pontos demonstram que estamos no caminho certo, como a conversa com cuidadores, por exemplo. Conseguimos captar um pouco de cada tema para levar ao nosso município”.

 

Evento promoveu a troca de experiências

Na Lapa, a 72 quilômetros de Curitiba, a médica Neysi Oliveira vive outro cenário. “Ainda não temos o programa em nosso município, mas estamos saindo com muitas informações”. Apesar disso, as equipes de saúde da Lapa já realizam alguns procedimentos com o mesmo perfil oferecido pelo Melhor em Casa. “O nosso projeto foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde e está em fase de ajustes para implantação”, diz a enfermeira Neiva Ione Correa da Silva.

Apesar de atuar já na área de sáude, a auxiliar de enfermagem na Unidade de Saúde Santa Quitéria, Ivonete dos Santos Gabilan, fez sua avaliação como estudante. “Estou fazendo faculdade de Enfermagem e achando o evento maravilhoso”. A coordenadora do Melhor em Casa Blumenau (SC), Terezinha Dal Pizzol, participou como palestrante e também elogiou o congresso. “Os temas foram apropriados e tudo muito organizado”. O município Blumenau será o anfitrião do III Congresso Sul Brasileiro de Atenção Domiciliar, em outubro de 2015.

Fotografias: Anya Colman

Outras matérias sobre o congresso:

Curitiba atende 540 pacientes em programa de atenção domiciliar

Do leito hospitalar, pacientes produzem acessórios divertidos para evento

Trabalhos retratam peculiaridades do atendimento domiciliar pelo Brasil